CINE TEATRO OURO VERDE: MEMÓRIA AFETIVA

  • THIAGO DE OLIVEIRA MUNHOZ

Resumo

As relações do ser humano com as lembranças dependem do esquecimento para
se tornarem condicionantes, assim a memória adquire um caráter essencial para o
conhecimento, já que propicia informações que tornarão possível o contato com
uma época, material, conceito, lugar, experiências, enfim, a memória como objeto
individual, coletivo e social proporciona esta relação com o tempo e em cada
categoria expressa uma maneira única de se reportar ao mesmo. Buscou-se neste
projeto apresentar as diversas óticas e perspectivas de memória afetiva, coletiva,
social e individual, respaldando a base teórica do trabalho para, enfim, aplicar estas
reflexões no caso do Cine Teatro Ouro Verde, pois o espaço do Ouro Verde agregou
momentos singulares, produziu experiências culturais para quem ali esteve e
propiciou diversas trocas de conhecimento. Assim este espaço não representa
somente um escombro, uma ruína material inanimada, pelo contrário, a riqueza que
ele proporcionou para as pessoas vai além de matéria, está vivo no conhecimento
das mesmas. Para tanto, utilizou-se do método e análise documental, almejando
perceber qual o significado do Cine Teatro Ouro Verde para os cidadãos na
perspectiva da memória afetiva. Com o acidente ocorrido no Teatro, o incêndio que
casou danos contundentes para o imóvel, tornou-se imprescindível pesquisar sobre
o mesmo, pois o que este representa para a memória nas diversas concepções das
pessoas, não possui valor material. Portanto, identificou-se na perspectiva da
memória afetiva, coletiva, social e individual o que o Cine Teatro Ouro Verde
significa para os indivíduos, objetivando-se preservar e disponibilizar para a
posteridade os significados que foram provocados pela pesquisa.

Publicado
2022-07-20
Como Citar
MUNHOZ, T. (2022). CINE TEATRO OURO VERDE: MEMÓRIA AFETIVA. Revista Científica E-Locução, 1(21), 28. Recuperado de https://periodicos.faex.edu.br/index.php/e-Locucao/article/view/454